Artigos

Construção Civil segue confiante em resultados melhores

17/05/2019 - Sinduscon-PE

O cenário vigente e as pespectivas da Indústria da Construção Civil, ao longo da última década, se tornaram importantes indicadores da retomada do desenvolvimento econômico, seja nacional ou estadual. Nada mais coerente, visto que pelo segmento construtivo passam ativos que incluem habitação, obras de infraestrutura viárias, de abastecimento de água, saneamento, empreendimentos de importância logística e imóveis onde serão abrigadas escolas ou hospitais, por exemplo. A vida como conhecemos hoje passa indiscutivelmente pela produção do setor.

Diante dessa realidade, de 15 até 17 de maio, a atenção de diversos atores, como empresários, investidores, gestores públicos, entre outros, esteve voltada para o Rio de Janeiro, onde foi realizado o 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), considerado o momento mais estratégico para discutir o setor produtivo no Brasil e avançar na formulação de soluções para a Indústria da Construção. Isso porque 2019 já se aproxima do fim do seu primeiro semestre e, embora o pior da crise econômica tenha passado, os números ainda não decolaram como desejado.

Em 2018, o Brasil apresentou crescimento de 1,1% em seu Produto Interno Bruto - PIB, enquanto a construção nacional sentiu uma queda de 2,5%. Pernambuco teve resultados um pouco melhores: PIB estadual de 1,9% e alta de 0,3% na construção civil.

Para 2019, as estimativas de crescimento do PIB nacional vem sendo rebaixadas sucessivamente, sendo a última divulgada, em maio, de 1,45%. Como a construção civil se comporta diante dessas notícias e o que pode ser feito através dela para reverter o quadro? São respostas à questões como estas que foram discutidas durante o Enic em caráter nacional.

Em Pernambuco, o Sinduscon-PE está acompanhando de perto tanto o cenário imobiliário quanto o de obras públicas. Através da pesquisa Índice de Velocidade de Vendas - IVV, desenvolvida mensalmente pela Fiepe, sabemos que em seu universo foi identificada no mês de fevereiro (dado mais recente) a oferta de 4.273 unidades residenciais. Um número bem abaixo do volume ofertado no mesmo período de 2018: 6903. O mercado está lançando menos. Está renovando lentamente o seu estoque.

O Sinduscon-PE realiza, também mensalmente, a pesquisa de Mapeamento e Atualização das Obras Públicas em Pernambuco. De acordo com os resultados do fechamento de 2018, apenas pouco mais de 50% das licitações lançadas no ano foram efetivamente contratadas. Isso é preocupante, porque mostra um movimento pouco produtivo.

Ainda assim, seguimos acreditando em resultados melhores para 2019. Usamos os números e pesquisas como benchmarking e trabalhamos nas soluções para os entraves. Soluções que são entregues como sugestões não só entre as empresas que compõem a categoria, mas principalmente para os gestores públicos responsáveis por definir mais investimentos para o setor e pela criação ou revisão de leis e normas que impactam diretamente na construção. Nossa resposta a esses estímulos costuma ser líquida e certa: geração de emprego, renda e desenvolvimento.

Outros Artigos