página principal

Comunicação

Clipping

Diário de Pernambuco - Economia | 24 de outubro de 2017

Diário de Pernambuco - Economia Demanda por imóveis de luxo

Aumento da procura neste segmento do mercado imobiliário deve aumentar vendas na Paulo Miranda em 30% nos próximos 12 meses

Com foco em imóveis entre R$ 1 milhão e R$ 6 milhões, que apresentam uma alta taxa de procura no mercado imobiliário pernambucano, apesar da crise, a construtora Paulo Miranda lançou na tarde de ontem o seu braço exclusive. Com escritório próprio, no empresarial Janete Costa, em Boa Viagem, e uma equipe de cinco corretores especializados no segmento premium, a imobiliária espera crescer 30% de suas vendas nos próximos 12 meses apenas com os resultados do mercado de luxo. A retração atual não preocupa os empreendedores, uma vez que o mercado de construção civil começa a se recuperar e deve fechar o ano com crescimento de até 5% em relação a 2016, de acordo com dados da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE). Entre os bairros mais disputados no segmento estão Boa Viagem, Pina, Piedade, Casa Forte, Jaqueira, Rosarinho e o trecho da beira-rio de Santo Amaro, no Centro.

As praias de Muro Alto, Enseadinha, Toquinho e Reserva do Paiva, além de Gravatá, no Agreste, também estão entre os endereços mais procurados pela classe A no estado. “Neste momento, já estamos com 40 clientes interessados apenas em imóveis na beira-mar do Recife. É o espaço mais desejado. Mesmo que a pessoa nunca vá passar um dia na praia de Boa Viagem, mas ela quer morar na beira-mar”, afirma José Maria Miranda. Segundo ele, além da localização, que é a primeira exigência, os clientes deste segmento buscam acabamentos refinados, muitos equipamentos de lazer no condomínio (especialmente quadras de tênis, squash e piscinas com raias olímpicas) e itens de segurança como guarita blindada. “Outra demanda dos compradores de luxo é por vagas de garagem. Tem imóveis aqui em Pernambuco com seis vagas de garagem justamente para atender este público”, ressalta Miranda.

O empresário acrescenta que o perfil do público que busca a Paulo Miranda com foco no mercado premium é constituído 90% por pernambucanos, que estão vendo na construção civil uma forma segura de investir e aumentar patrimônio mesmo nesta fase de retração que atinge o Brasil.

“A maioria quer morar no imóvel de luxo, mas muitos estão voltando os olhos para esse mercado para investir de forma conservadora. Além disso, todos os bancos hoje já têm financiamento para essa faixa de preço e as construtoras e incorporadoras também trabalham com financiamento direto de até 80 meses para esse tipo de produto”, ressalta o gestor. Carlos Tinoco, presidente da Ademi, que esteve presente no lançamento, concorda e reforça a recuperação do mercado de construção civil, que começa a dar sinais. “A gente passou uma fase em que as pessoas estavam com medo de comprometer seu dinheiro. Agora, o momento já é de pensar onde investir com segurança e, nisso, a melhor opção sempre será um imóvel.”
Começa semana imobiliária

Publicação: 20/10/2017 03:00
Com o setor registrando um aumento de 12% nas vendas líquidas de imóveis no país nos últimos 12 meses, segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, começou ontem, no Recife, a Semana do Mercado Imobiliário. O evento acontece até o próximo dia 29, no Shopping RioMar, e é realizado pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi/PE).

Vinte e uma construtoras estarão disponibilizando estandes. Cerca de três mil imóveis são ofertados por contrutoras como a GV Engenharia, Rio Ave, Moura Doubex, Queiroz Galvão, Gabriel Bacelar, Hábil Engenharia, Construtora Ceta e Norcon Rossi, Flamac. Há imóveis a partir de R$ 140 mil, com promoções relâmpagos e condições de pagamentos mais flexíveis. Algumas empresas estarão oferecendo apartamentos já mobliliados, fruto de parcerias com fabricantes de móveis. A Caixa, o Banco do Brasil e o Bradesco estarão presentes e de plantão para tirar as dúvidas frequentes referentes a avaliação de crédito para o fechamento das compras dos imóveis.