página principal

Comunicação

Clipping

Portal G1 | 21 de junho de 2018

PF faz operação contra desvios no Rodoanel e prende 14 pessoas

Ex-diretor presidente da Dersa e atual presidente da Cesp foi preso. MPF estima que houve superfaturamento de R$ 600 milhões. Dersa diz que é 'maior interessado no andamento do processo'.
Por Bruno Tavares e Robinson Cerantula, TV Globo e G1 SP
21/06/2018 06h41 Atualizado há 1 hora
PF cumpre 15 mandados de prisão contra suspeitos de desvio de recursos do Rodoanel

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (21) uma operação para prender 15 pessoas suspeitas de desviar dinheiro das obras do trecho Norte do Rodoanel Mário Covas. Até as 12h, 14 mandados haviam sido cumpridos. O Ministério Público Federal estima que houve um sobrepreço de R$ 600 milhões nos custos da obra conduzida pela OAS e Mendes Junior.
Um dos presos é Laurence Casagrande Lourenço, ex-diretor presidente da Dersa, principal alvo da operação. Atualmente, ele preside a Companhia Energética de São Paulo (Cesp), que deve ser concedida à iniciativa privada.
No último ano, Laurence acumulou o cargo de secretário de Transportes e Logística do governo Geraldo Alckmin (PSDB) e deixou a pasta quando Márcio França (PSB) assumiu o governo. Ele atua no governo tucano há 17 anos e tem passagens pela Secretaria da Segurança Pública e Fundação Casa (veja mais abaixo o que dizem Alckmin e outros órgãos).
A operação Pedra no Caminho também cumpriu 51 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Carapicuíba, Arujá, Bofete, Ribeirão Preto e São Pedro, no estado de São Paulo, e também em Marataízes e Itapemirim, no Espírito Santo. O 15º alvo de mandado de prisão está fora do país.
O trecho Norte do Rodoanel ainda está em construção e, quando estiver pronto, vai ligar a Rodovia dos Bandeirantes à Rodovia Presidente Dutra