Carregando

Tipo de busca

Ficons 2018 exibe soluções para o setor da construção em cenário pós crise

Clipping

Ficons 2018 exibe soluções para o setor da construção em cenário pós crise

Compartilhar

Leve crescimento na empregabilidade do setor é sinal positivo para organização e expositores

É fato que a sociedade atual vem demandando novos formatos de habitação, mais adequados aos novos perfis familiares, motivando a alteração de projetos atuais e de um futuro próximo no mercado imobiliário. São casais que não querem filhos, jovens que desejam partir para um coliving, sem falar na população de idosos que só cresce, de acordo com as estatísticas mais recentes. Por outro lado, as novas relação trabalhistas que se estabelecem também geram novas necessidades para os imóveis comerciais. Somando isso tudo à mudança conceitual pela qual passa o segmento de obras públicas, diante da escassez de recursos públicos, conseguimos delinear um pouco do cenário no qual a XI Feira Internacional de Materiais, Equipamentos e Serviços da Construção – Ficons aportará, por ocasião da sua realização, no período de 11 até 15 de setembro de 2018.

A Ficons 2018 levará para o pavilhão de eventos do Centro de Convenções de Pernambuco cerca de 200 expositores de produtos e serviços utilizados pelo setor desde a concepção de projetos até o acabamento das obras. De acordo com o Sinduscon-PE, entidade promotora do evento bianual, mais do que vender, os expositores estão focados em garantir o seu espaço nessa indústria através do reforço de suas marcas e de lançamentos de produtos cada vez mais tecnológicos, racionais, econômicos e sustentáveis.
“O ponto que estamos na crise econômica pela qual o país passa é o grande diferencial desta edição 2018 da Ficons. A feira de 2012 superou qualquer expectativa, em um cenário pré-crise. A edição de 2014 foi apanhada pelo início da crise. Já a de 2016, foi pega exatamente no seu âmago. A expectativa maior do Sinduscon-PE, após as eleições, é que realmente comece um viés de alta, que encontrará na feira de 2018 alicerces seguros para novos negócios”, considera o presidente do Sinduscon-PE, José Antônio de Lucas Simón.
Para ele, os expositores mostraram que também tiveram essa visão justamente quando se fizeram presentes nesta edição. “Acho que o maior mote que tivemos para conquistar novos expositores em 2018 foi justamente a perspectiva de recuperação econômica, e isso vai ser muito bem explorado na feira, com investimentos em novas tecnologias, produtos e métodos construtivos”, diz.
Entre os indicadores aos quais o presidente do Sinduscon-PE se remete, estão desde números consolidados, como a pesquisa de evolução do emprego, do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego, os resultados de pesquisas nacionais do mercado imobiliário realizadas pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção, até promessas dos candidatos em campanha presidencial, cuja quase totalidade vê nos investimentos na construção civil um grande gerador de empregos.

De acordo com os resultados mais recentes do Caged, relativos ao mês de julho de 2018, o emprego na construção civil em Pernambuco teve um pequeno crescimento, de 0,51%, com um saldo de 345 novos postos de trabalho criados. No Nordeste, foco principal dos expositores da Ficons, o relatório do Caged mostra crescimento na variação anual, de 0,59%, com um saldo de 2.450 empregos no setor construtivo. Ceará, Alagos e Sergipe foram os estados com maior saldo de empregos na construção civil do início de 2018 até o final de julho. De acordo com estudo recente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp, para cada R$1 milhão aplicado na área de habitação, são gerados 21 empregos. E esse mesmo milhão é replicado dentro do PIB nacional.

“Cada expositor tem uma marca e clientes consolidados na região Nordeste, mas quer expandir para outras possibilidades. A Ficons se tornou esse elo de ligação, reunindo técnicos, compradores, produtores, representantes… Ser o grande salão do Nordeste é o maior legado da Ficons para a cadeia produtiva da construção civil”, considera ele.

A Ficons 2018 tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, do Sesi-PE, da Iquine, Silvana Assa Abloy, Hidrotintas, Distac e Banco do Nordeste. Com centenas de marcas nacionais e internacionais em exposição, a expectativa da organização é de receber cerca de 30 mil visitantes, vindos de 22 estados. Da sua abertura, na terça-feira, 11, até a sexta-feira, 14, funcionará das 16h às 22h. No sábado, 15, último dia, a feira ocorrerá das 16h às 20h. O acesso ao evento é gratuito, sendo necessário preencher cadastro pelo site ( www.ficons.com.br) ou no local.

Ilha de Construtechs traz o futuro para dentro da Ficons – Entre as novidades que serão apresentadas durante a XXI Feira Internacional de Materiais, Equipamentos e Serviços da Construção, está a ilha de Construtechs. Será um grande espaço, que tem a parceria do Sebrae-PE, no qual pouco mais de dez startups de tecnologia voltadas para a construção apresentarão suas alternativas embasadas no que há de mais inovador em termos de soluções para construção, habitação e urbanização.
E hoje não são poucas: vão desde programas como o BIM – Building Information Modelling, no qual todo um empreendimento pode ser criado em meio digital com suas funcionalidades compatibilizadas, antecipando erros e gastos desnecessários, até a própria impressão de imóveis em 3D, já práticada por empresas americanas que levaram menos de 24 horas para erguer uma casa com 38 metros quadrados. Potencialmente, isso significa que um conjunto habitacional de casas populares, depois de feita a infraestrutura básica, poderia ter 100 casas construídas em pouco mais de três meses.

As construtechs vieram para causar uma ruptura no cotidiano da Indústria da Construção, com a chegada dos millenials no setor, questionando métodos tradicionais, pensando soluções dentro das novas ferramentas tecnológicas disponíveis, e atendendo a uma nova realidade de comportamento humano, de escassez de recursos e de insumos materiais. De acordo com levantamento do Venture Builder Construtech Ventures, no Brasil temos 354 startups atuando na cadeia da construção civil e apenas 23 no Nordeste.

Recentemente, o presidente do Sinduscon-PE, José Antônio de Lucas Simón, participou como debatedor do evento Construtalk Recife, promovido pela Buildin, com o tema “Como conciliar a necessidade de inovação com o mindset da Construção Brasileira”.

Ciente da importância do incentivo à inovação no setor, José Antônio lançou em primeira mão, diante de dezenas de representantes de startups, a ideia de levar para dentro da sede do Sinduscon-PE as construtechs, transformando a entidade também em um polo de tecnologia. “A presença na Ficons é apenas o nosso primeiro passo e cartão de boas vindas”, declara o presidente do Sinduscon-PE.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *